H I S T Ó R I C O

"E S P E R A N T I S T A S O C I E T O D E R I O G R A N D E"

A "ESPERANTISTA SOCIETO DE RIO GRANDE", atualmente conhecida por "Esperanto - Societo de Rio Grande", sita à Rua General Vitorino n.º 393 - sala 301, na cidade do Rio Grande, fundada em 15 de dezembro de 1961, reconhecida de Utilidade Pública Municipal, Lei n.º 2694/73, é filiada à Associação Gaúcha de Esperanto,("AGE") com sede em Porto Alegre, neste Estado.

  1. O movimento esperantista nesta cidade começou na década de cinqüenta com um grupo liderado pelos "samideanos" Srs. Ten. Cel. Dirceu Porciúncula, Domingos Caruso e Jardelino Cunha. Eles, devido ao vasto círculo de amizades oriundo, principalmente, das atividades espíritas na "Sociedade Espírita Kardecista" (a casa espírita mais antiga do Estado) e outras congêneres, logo facilmente congregaram mais pessoas;
  2. Em 28 de setembro de 1959 compareceram naquela sociedade espírita, com a finalidade de formar um grupo de estudos do Esperanto, as seguintes pessoas: Ten. Cel. Dirceu Porciúncula, Domingos Caruso, Jardelino Cunha, Manoel Torres Abreu, Walter Lamberti; o casal João e Thusnelda Halfen; Sra. Isaura Martensen, Paulo e Isiara Caruso (filhos de Domingos Caruso).
  3. Estava formado o "Grupo Esperantista da Sociedade Espírita Kardecista", ficando de instrutor o "samideano" Porciúncula;
  4. Dois anos após esse grupo fundou a "Esperantista Societo de Rio Grande", ("ESRiG"), em 15/12/1961, constituindo a primeira diretoria os que seguem: Presidente: Domingos Caruso, Vice - Presidente: Dirceu Porciúncula, Secretário: João Antônio Rodrigues, 2º Secretário: Maria Helena Chanes Feijó, 1º Tesoureiro: Herny Rodolfo Seibel; 2º Tesoureiro: Walter Lamberti; Bibliotecária: Juraci Maria Vasconcelos.
  5. "Em 1959 existia na Rua Silva Paes n.º 238, nesta cidade do Rio Grande, uma alfaiataria denominada "Alfaiataria Clímax", de propriedade do nosso "samideano" Domingos Caruso. Era este o ponto de reunião de um certo número de pessoas onde assiduamente palestravam, principalmente sobre a Doutrina Espírita. Dentre outros Jardelino Cunha e Manoel Torres Abreu ."(D. Porciúncula)

Os anos sessenta e setenta foram de muita produtividade na divulgação e ensino do Esperanto nesta cidade. "O livro empregado era o "Primeiro Manual de Esperanto", editado pela FEB. (Federação Espírita Brasileira)."

Foram apenas três companheiros, como se vê, mas os resultados foram decisivos para o movimento esperantista local. O Cel. Dirceu Porciúncula, que já estava alimentando a idéia de fundar uma sociedade esperantista, "entusiasmou-se", no seu próprio dizer... Em contato com o então presidente da "ESPA"(Esperantista Societo de Porto Alegre), Arqtº. Ernani Dias Corrêa, obteve a orientação necessária, bem como o nome a ser dado à entidade nascente.

Dois meses após, em 15 de dezembro desse ano era fundada esta sociedade, na Rua General Netto n.º 398, por cortesia da Sociedade Espírita Kardecista, sendo a diretoria composta pelos companheiros mencionados no início deste histórico.Os demais fundadores foram: Augusto Guilherme Landgraf, Florisbelo de Oliveira Costa, Isiara Mieres Caruso, Izaura Poester Martensen, Júlio Corrêa, Manoel Torres Abreu e Paulo Domingos Mieres Caruso. Como não dispúnhamos de outro local e os integrantes pertencessem, quase todos, exceto o tesoureiro, àquela casa espírita, ali permanecemos por longo tempo.

No ano de 1962, dos dias 18 a 20 de janeiro, tivemos a visita do Prof. Celso Boris Eston. Aproveitando a sua estada conseguimos com a então Faculdade de Ciências Econômicas a cedência do auditório, onde ele proferiu palestra e aulas de Esperanto, a cerca de setenta e cinco pessoas, segundo método direto próprio. Seguimos ministrando as nossas aulas desde aí sob a sua orientação. Éramos, juntamente com D. Porciúncula, os instrutores. Porém, como o Prof. Eston ainda não houvesse concluído o seu método e precisávamos, cada vez mais, de material, passamos para o Junul-Kurso, (encomendado à Coop. dos Esperantistas, no Rio de Janeiro).

Em 23 de março de 1963 a "societo", que até então só se ocupava da divulgação, começou a promover aulas às terças e quintas-feira, das 20h30min às 21h30min. Prosseguia também o curso na Kardecista (SEK), aos domingos das 10 às 11horas.

Nesse mesmo ano, em 13 de abril a "Esperanto - Societo de Rio Grande" transferiu a sua sede para uma das salas da Biblioteca Rio-Grandense, gentilmente cedida pela sua compreensiva e dinâmica Diretoria. Isso para que nos fosse possível divulgar mais abertamente para a comunidade rio-grandina o ideal de Zamenhof.

Em 23 de maio de 1964 : é fundado o "Rondeto Zamenhof", funcionando aos sábados a cargo de Manoel Torres Abreu, com a finalidade de congregar os grupos esperantistas existentes na Sociedade Espírita Kardecista, sede provisória desta "societo", para se conhecerem, confraternizarem e trocarem experiências e conhecimentos. Assim, ali eram lidas as correspondências recebidas, geralmente do Exterior, de "ge-samideanoj" (co – idealistas). Dirceu Porciúncula se correspondia com a Suíça, Thusnelda Halfen com a França, eu com a África. Dessa forma vivíamos o Esperanto o mais dinamicamente para os meios da época. Ali também se tratava da organização de passeios e viagens à cidades próximas como Pelotas, Porto Alegre e visita de companheiros ("samideanoj") aos nossos grupos.

Ano de 1972, agosto 10: "foram modificados os estatutos, conforme exigências do Cartório Extra Judicial, para nossa sociedade ter personalidade jurídica. Nessa ocasião foi mudado o nome de "Esperanto - Societo de Rio Grande" para "Esperantista Societo de Rio Grande", conforme pedido da Esperantista Societo de Porto Alegre, que tratava da unificação de designações das congêneres do Estado."

Ano de 1973, setembro 20: "nossa sociedade fica considerada de utilidade pública municipal pela Lei n.º 2694, por sanção do Prefeito Ten. Cel. Cid Scarone Vieira."

Igualmente devemos registrar que vários esperantistas visitaram a nossa cidade, tanto brasileiros como de outros países, tendo aqui deixado as suas impressões, amizade e conhecimentos os mais diversos. Oportunidades, fora de dúvida, que serviram para comprovar, junto a nós mesmos e àqueles que nos acompanhavam, a utilidade e praticidade da Língua Esperanto como elo de fácil intercâmbio cultural e, sobretudo, fraterno.

Assim, os esperantistas de Rio Grande puderam conhecer e conversar com vários "samideanoj" latino-americanos e europeus. Face eu integrar o "Pasporta-Servo" e ser delegado pela "UNIVERSALA ESPERANTO ASOCIO" (UEA). Visitou-nos Victor Sadler, da Direção da "UEA", de Rotterdam, Holanda. Manoel Torres Abreu compareceu ao jornal "RIO GRANDE" acompanhado do visitante que, falando em Esperanto ao Diretor, Dr. Daoiz de la Rocha, serviu de intérprete; Renée Triolle, Secretária-Geral da "União Francesa de Esperanto". O Prof. Atilio Orellanas, da "Associação de Esperanto da Argentina" (e hoje o principal instrutor de Esperanto no mundo, pelo "Método Che"). Convidado a ministrá-lo em vários países da Europa, China e Rússia, tem viajado por quase todos os continentes nessa missão. Um esperantista da ex-Checoslováquia, tripulante de navio, com quem fizemos duas reuniões vespertinas em casa. Um esperantista dinamarquês, que, viajando pelo mundo de moto, portava na bagagem um violão. A todos nos encantou com suas músicas em Esperanto e em sua língua nativa. Dentre os brasileiros, mais recentemente aqui esteve o Prof. José Passini, ex-Reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora, MG e Mestre em Esperanto pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Pronunciou três palestras: uma no Campus Carreiros da Fundação Universidade de Rio Grande para alunos, professores e público em geral e outra na "Sociedade Espírita Kardecista", na Rua Gal. Netto, 398, no dia 17 de setembro de 1997. Na manhã de sua partida, dia 18, ministrou aula-demonstrativa para os alunos da 3ª série da escola de 2º Grau "Liceu Salesiano Leão XIII". Muito agradou aos jovens, havendo eles lamentado o Esperanto ainda não constar como língua de opção nos vestibulares.

Ao longo de sua história, os membros da Esperantista Societo de Rio Grande, participaram de diversos Congressos no Brasil e Exterior:

- No ano de 1961, de 7 a 14 de outubro, em Porto Alegre, realizou-se o 17º CONGRESSO BRASILEIRO DE ESPERANTO

- No ano de 1978, julho de 17 a 22, compareceram ao 1º CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE ESPERANTO, em Marília, SP.

- Em 1981, 25 de julho a 1º de agosto, 66º CONGRESSO UNIVERSAL DE ESPERANTO, Brasília, DF.

- Ano de 1987, 25 de julho a 1º de agosto, 72º CONGRESSO UNIVERSAL DE ESPERANTO, Varsóvia, Polônia.

- Ano de 1992, 9 a 12 de outubro, CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE EDUCACÃO, Saenzpeña, Chaco, Argentina.

- Ano de 1998, setembro 5, 6 e 7, Paulínia,SP, XX ENCONTRO DE ESPERANTO DO ESTADO DE SÃO PAULO.

Além destes, outros eventos que se realizarão este ano (2001) e no ano que vem (2002), podem ser conferidos no link para eventos, disponível neste site.

Voltar