A Rede mundial de computadores

A Rede mundial de computadores (Internacional-Networking ou apenas InterNet) surgiu em meados de 1960, em instituições militares governamentais, nos Estados Unidos. Na época a preocupação era que mesmo com situações de catástrofes provocadas por uma guerra pudesse existir um meio de comunicação e a troca de informações entre as bases militares que sobrevivessem, independente de rota de acesso existente – para tal, era necessário então que, locais fisicamente distantes, com equipamentos, softwares e tipo de conexões diferentes, pudessem estar interligados, e trocando informações entre si. Este conceito, mantem-se muito vivo na “Internet atual”, onde máquinas distintas, em diversos lugares do mundo, são capazes de trocar informações entre si, de maneira simples.

Esta tecnologia, migrou dos laboratórios militares, para as universidades, o que impulsionou o crescimento de novos utilitários, softwares, protocolos e hardware, popularizando a rede (que até então ainda não era mundial). O próximo passo foi ganhar o mercado corporativo, e depois o doméstico, fazendo da Internet a maior rede de computadores do mundo. Podemos dividir a Internet em pelo menos três fases distintas :

 1ª fase – Quase que restrita basicamente ao meio acadêmico, e grandes corporações. As tecnologias ainda são modestas, como os servidores gopher que permitiam (e ainda pertimem!) a busca de informações especificas. Fez muito sucesso em assuntos acadêmicos. Nem preciso mencionar o sucesso da troca eletrônica de mensagens entre os usuários (o tão famoso e-mail), afinal a base da Internet é a comunicação e a troca de informações :). Nesta fase a Internet era algo para poucos sortudos

 2ª fase – A rede toma proporções realmente intercontinentais. Inicio da década de 90, e finalmente chega as empresas e ao mercado doméstico. Novas tecnologias, como o World Wide Web (www) disponibilizam uma maneira fácil de interação do internauta com a Internet. Os Chat (bate-papos eletrônicos) são febre, as páginas são bem mais atraentes e com boas animações. Diversos serviços são oferecidos ao internautas e as conexões discadas passam a ter custo acessível, o que facilita a eclosão da tecnologia.

 3ª fase – Atual – As tecnologias dão um salto enorme na qualidade e tipos de acesso de acesso disponíveis no mercado. A conexão discada começa a ficar em desuso e a palavra de ordem é BANDA LARGA. Tecnologias como cable modem, ADSL e satélite, passam a ter um custo pequeno, permitindo conexões domiciliares de 24hs, com velocidades de acesso muito superiores a conexão discada. Este é o mundo da multimídia, da troca de som e imagem on-line, teleconferências, informações em tempo real. Este é sem duvido, o mundo de hoje.

  
Marcelo Garcia

Profissional da área de informática

 

homodigitaliens