Hereford

A Cabanha Santa Isabel iniciou recentemente seu plantel de animais Hereford. Nosso objetivo é manter animais PO com seleção visando à manutenção das características originais da raça através de sangues clássicos com origem inglesa.

Nosso plantel teve início em outubro de 2007 com uma terneira aspada, a qual foi presenteada pelo Dr. Marcelo Alves Pimentel, proprietário da Estância e Cabanha Santa Anita, tradicional selecionador da raça no município de Aceguá, RS.

O ventre, aspado, se chama Santa Anita Wrangler Basic G238, sendo padreada por Mauá Basic do Pontal 1173 em vaca Santa Anita Wrangler 969 D51. A Cabanha Mauá, de Santa Vitória do Palmar é detentora do maior rebanho de Hereford PO do Brasil, possuindo vários touros em centrais de sêmen. A Cabanha Santa Anita possui longa história na seleção do gado Hereford na fronteira gaúcha, sendo para nós uma grande honra em ter um sangue trabalhado com tanto afinco por tantos anos de seleção.

Santa Anita Wrangler Basic G238

Em 2013 efetuamos uma das mais importantes compras de nossa cabanha. Durante a Expointer, adquirimos o Reservado Grande Campeão Hereford da mostra, e que, no mesmo ano sagrou-se Campeão da Nacional Hereford – São Fernando SF Rival 8133. Ainda, ampliamos a base genética de nosso plantel Hereford com a compra de duas fêmeas da mesma procedência com a compra de Santa Luiza Nobleman 1060 e São Fernando Dolly 8904. A cabanha São Fernando, de Quaraí, RS, cria Hereford com um grande plantel que é selecionado a mais de um século.

São Fernando SF Rival 8133

Nossa ênfase será em manter um plantel de animais aspados, porém, muitos são os touros mochos que hoje apresentam excepcional cobertura de carne, os quais serão usados em nossos ventres, porém, sempre será priorizada a seleção pelo caráter aspado de nosso gado.

Temos em nosso banco de sêmen, dois touros classificados como "Traditional", ou seja, sem nenhuma infusão de sangue que não seja de ancestrais britânicos. Os animais canadenses e americanos são conhecidos por apresentarem pedigrees com "infusão" genética não oficial das raças Limousin e Simental. Em vista deste banco genético, procuramos aumentar a porcentagem de genes originais da raça Hereford em nossos animais, com o sêmen hoje em estoque, bem como com a importação de novos sangues "tradicional".


Origem e história

A raça Hereford é originária do condado inglês de mesmo nome, localizado no centro oeste da Inglaterra. Apesar deste ambiente natural, de vales e planícies com solos férteis, a raça se encontra hoje difundida de forma tão ampla por todo o mundo, que resulta de todo impossível definir a topografia e tipos de solo que melhor se adaptam à raça.


O primitivo desenvolvimento da raça permanece pouco conhecido, provavelmente é relacionado aos vizinhos Gloucester, Welsh Black e a extinto Glamorgan do sul de Wales, bem como com origem semelhante ao gado Devon e Sussex do sudoeste da Inglaterra.

Baseando-se em dados escassos, conta-se que touros de origem Holandesa ou Flamenga trazidos de Dunquerque, Holanda, para o Lord Scudamore provavelmente conferiu ao Hereford seu tamanho e cor branca da cara e região abdominal. Indicando assim a analogia que existe entre o Hereford e a raça Groningen.

Um estudo recente efetuado pelo Departamento de Genética do Trinity College, de Dublin, Irlanda, com uso de marcadores genéticos para estudo do DNA verificou a distância genética de sete raças, entre as quais, Aberdeen Angus, Jersey, Hereford, Charolês, Holandês, Simental e N'Dama. Verificou-se que a raça Hereford tinha maior afinidade genética com a raça Holandesa, do que com as outras duas raças britânicas, mostrando, portanto que a raça Hereford tem um passado em comum com as raças desta região da Europa.

Sem sombra de dúvidas, esta raça bovina de cara branca é conhecida desde longa data na Inglaterra. O melhoramento moderno da raça começou com Benjamim Tomkins (1714-1789), e seu filho, continuador de sua obra, destacando-se como método seletivo à busca de precocidade de abate empregando consanguinidade estreita.


Cotmone 376


Cameroni

Os Tomkins, como a maior parte dos demais criadores de gado Hereford daquela época, não se interessavam em absoluto por características de pelagem, secundárias e menos importantes. No início do século XIX, ocorriam muitos padrões de pelagens, entre as quais animais vermelhos de cara branca, vermelha de cara salpicada, cinza clara e parda. Gradualmente, a pelagem “pampa” característica foi se impondo, sendo hoje considerada como “marca de pureza” da raça.

Desde tempos imemoráveis o gado de Herefordshire e outras comarcas adjacentes têm sido famosa por seu tamanho, resistência e aptidão carniceira. Esta raça foi fundada a partir de um tipo que predominava em Hereford durante séculos. Já em 1627, mencionava-se a existência desta raça.


Merimen

Os fazendeiros de Herefordshire, Inglaterra, estavam determinados a produzir carne expandindo o mercado de comida criado pelos Britânicos na Revolução Industrial. Para o sucesso destes primeiros criadores eles tinham um bovino o qual poderia converter a grama nativa em carne, e isto tudo em lucro. Nesta época, não existiam raças que fornecessem estas necessidades, tanto que os fazendeiros de Herefordshire encontraram uma raça de carne que logicamente tornou-se conhecido como Herefords. Estes primeiros criadores de Hereford moldaram seu gado com a ideia em uma raça de alta produção de carne e eficiência produtiva, e firmaram as características que hoje são características da raça.

Independente de sua origem, a raça já se encontrava estabelecida em 1788, quando se escreveu que “a raça de Hereford era sem sombra de dúvidas a primeira raça das Ilhas Britânicas”. Consequentemente é inquestionável que ainda se desconheça sua origem, a moderna raça Hereford descende de animais de mérito inolvidável e com uma notável resistência a enfermidades.

Nos últimos 25 anos do século XVIII a face branca se tornou preferência no gado Hereford e quando Benjamin Tomkins, a qual havia herdado o rebanho de seu pai em 1769, comprando duas vacas, ambas com estas marcas. As vacas eram “Pigeon” e “Mottle”, alem delas, uma terceira chamada “Argent” são consideradas as fêmeas fundadoras da raça Hereford. Coincidentemente, “Mottle” significa mosqueado/ manchado e Argent sugere cinza ou prateado. 

Benjamin Tomkins é creditado a ser o fundador da raça. Isto ocorreu 18 anos após Robert Bakewell haver iniciado o desenvolvimento de suas teorias sobre cruzamentos de animais. Desde o inicio, o Sr. Tomkins tinha como objetivo a economia na alimentação, a aptidão natural para crescer e ganhar peso seja usando pastos ou a partir de grãos, rusticidade, precocidade e prolificidade, características que ainda são de primeira importância hoje em dia. Outros criadores pioneiros seguiram a Tomkins, levando e estabelecendo o gado de Herefordshire renomado mundialmente, causando sua exportação desde a Inglaterra para onde cresce pasto e a produção de carne é possível.

Os Tomkins iniciaram um número considerável de cruzamentos usando da consanguinidade como ferramenta de seleção, devido ao fato de que eles mesmos criavam e utilizavam seus touros, sendo o único critério qualitativo que os guiava a rapidez de apronte e produção de carne.

O touro mais importante produzido por Tomkins foi “Silver Bull”, um neto da vaca “Silver”. Este touro tinha corpo vermelho e face branca. O gado de Benjamin Tomkins era conhecido ao fim do século XVIII por sua constituição pesada e coloração, com corpo vermelho ou rosilho e face branca ou mosqueada.


Silver

Como a maior parte dos demais criadores de Hereford daquela época não se interessavam por características de pelagem, que eram secundárias e menos importantes. Depois, quando estavam suficientemente estabelecidas as características funcionais, se estabeleceu uma controvérsia sobre o padrão de pelagem e marcas ideais que a raça deveria adotar como típica. No início do século XIX, se preferiam animais com quatro pelagens básicas; vermelha de cara branca, vermelha com cara salpicada, cinza clara e prateado.

Gradualmente os partidários das duas primeiras pelagens impulsionaram o uso destas sobre as outras duas, uma vez adotada esta combinação de cores, foi fixada por seleção e cruzamentos consanguíneos até que o vermelho e branco foi considerado como “marca de pureza” da raça Hereford.

O gado Hereford da Inglaterra do final de 1700 e inicio de 1800 era muito maior do que hoje. Muitos animais adultos daqueles dias pesavam 1.350 kg ou mais. Cotmore, um touro ganhador de várias exposições e notável padreador da época, pesou 1.960 kg quando foi exposto no Royal Show de 1839. Gradualmente, o tipo e a conformação mudaram para um peso e tamanho menos extremo para conseguir mais qualidade e eficiência. Esta mudança é vista quando se comprara o peso de “apenas” 1.300 kg do Campeão desta mesma mostra no ano de 1889.

Em 1876 o Hereford Herdbook Society foi fundado e no ano de 1883 o herdbook foi fechado, exceto para os animais cujos pais já se encontravam inscritos.

Por mais de um século o Hereford foi a mais importante raça de carne da Inglaterra. A partir da década 20, o Hereford perdeu espaço para as raças continentais que produziam carne mais magra.

Ao inicio do século XIX os primeiros Herefords foram exportados para a América do Norte. Com o fim da Guerra Civil e o inicio da Revolução Industrial Americana e a expansão para o oeste americano o consumo de carne aumentou. Os rancheiros do oeste criavam até então o gado Longhorn local, originalmente trazido pelos conquistadores Espanhóis, e levaram para o oeste o gado Hereford. Estes animais tiveram a habilidade de sobreviver, proliferaram e foram levados por trilhas para serem abatidos nos mercados do leste americano. Isto tornou o Hereford um grande melhorador, eles sobreviveram às condições rudes dos ranchos e melhoraram a qualidade da carne do rebanho nativo, A demanda por touros Hereford teve um amplo aumento.

Romany Captain 1 - Royal Show 2010
Junho 2010 - Edimburgo - Escocia
Filhas de Romany Captain 1 - Royal Show 2010
Junho 2010 - Edimburgo - Escocia

Para satisfazer o aumento do mercado de reprodutores, os quais eram necessários na região oeste, os criadores de Hereford aumentaram seus rebanhos e fizeram grandes importações de Herefordshire. Onde apenas 200 cabeças foram importadas em 1880, e mais de 3,500 cabeças de Hereford vieram importadas no período entre 1880-1889. A raça estava então amplamente distribuída por shows e exposições, recebendo grande aceitação entre os criadores dos Estados Unidos.

O Hereford revolucionou a produção de carne na América, pela sua maturidade precoce, conseguindo engordar mais cedo, produzindo um "baby beef". Outras características continuaram a ser importantes nos programas de seleção bovina, mas sem dúvida, o apronte precoce e as habilidades de engorde foram de primeira concessão, pois, o mercado pagava altos preços por bovinos que engordavam bem a pasto e preferiam animais que demonstrassem a habilidade de engordar em tenra idade.

Para conseguir esta precocidade, os criadores no fim da década de 30 e 40, selecionaram o gado Hereford para uma conformação corporal mais curta, baixa, ampla e profunda, produzindo animais próximos ao chão. O mercado mudou novamente por volta de 1960, causando uma penalização nos preços dos bovinos deste tipo compacto, e novamente houve discriminação para os tipos bovinos que não se enquadravam nas necessidades do mercado.

Após a 2ª Guerra Mundial e o inicio da década de 50, o tipo bovino compacto, pequeno e gordo continuou a ser favorecido nas pistas de julgamentos, mas o mercado de carne estava mudando sem avisar aos criadores, e o mercado comercial para carne gorda estava declinando, devido a mudanças de hábitos por parte dos consumidores que não queriam mais comprar excesso de gordura nos cortes das carnes bovinas. O resultado foi que o mercado passou a pagar menos pelo gado com gordura em excesso e um tipo diferente de bovino passou a ser preferido pela indústria de carne, um tipo magro, longilíneo e com mais carne vermelha.

Economia nos custos de produção requeridos para o engorde dos animais a um custo menor na conversão alimentar do pasto em músculo repleto de gordura, fizeram com que um tamanho maior e um estilo diferente de conformação na qual o tipo compacto foi abandonado por um animal maior e mais magro.

Acompanhando estes objetivos em um espaço de tempo curto, é um tributo aos dedicados criadores de Hereford, a ampla base genética da raça, e a habilidade dos criadores em utilizar modernas tecnologias em conjunto com aplicações práticas da arte de selecionar e criar.

Hoje em dia o tipo animal mediano que mantenha a precocidade sexual e de acabamento rápido com boa cobertura de gordura na carcaça é o que o mercado demanda. A raça Hereford mais uma vez se destaca por apresentar animais com tais qualidades fornecendo aos criadores comerciais touros que estão recuperando as características perdidas.

A pelagem da raça Hereford originalmente se caracterizava por ser vermelha de cara branca ou vermelha de cara salpicada,a pelagem "pampa" característica foi se impondo, sendo hoje considerada como "marca de pureza" da raça. A pelagem vermelha, com cara, ventre e extremidades da cauda e partes inferiores das patas totalmente brancas, é chamada de "Pampa". A cara branca é dominante nos cruzamentos permanecendo nos mestiços por várias gerações.

Os criadores estão cada vez mais a procura de animais com pelagem vermelha ao redor dos olhos, que constitui defesa contra a exposição a forte luz solar, pois acredita-se que isso reduza a formação de vesículas e de câncer nos olhos.

O animal da raça Hereford é bem constituído, harmonioso e equilibrado, vigoroso e de bom tamanho, devendo-se evitar ambos os extremos.

Performance, praticidade e lucratividade combinadas tornam o gado de corte Hereford a raça mais abundante em diversas regiões do mundo, sendo amplamente reconhecida como a raça básica. Fertilidade, rusticidade, eficiência alimentar, longevidade e adaptabilidade são as características de corte básicas, que asseguram que o gado de cara branca continuará a desempenhar um papel de destaque na indústria de carne bovina.

Gado famoso por seu tamanho, resistência e aptidão para a produção de carne, devido a sua conformação e capacidade de engorda, é considerada razoavelmente rústica e prolífica. A produção de carne é a sua aptidão principal. O gado é resistente ao extremo em condições adversas, tanto ou mais que qualquer outra raça européia. São animais bastante eficientes em regime de pasto, apresentando neste contexto terminação adequada ao produzir carcaças de carne bem marmoreada, como o mercado exige.

Desde as mudanças ocorridas nos pequenos animais do século XIX que tinham frame baixo e apresentavam ate 15 cm de gordura de cobertura, seguidos pelos gigantes que se sucederam nas mostras de 1840 e 1850, o tipo animal atual é dito intermediário. As fêmeas medem em media 140 cm e pesam entre 500 e 800 kg, enquanto que os touros medem em media 152 cm, pesando entre 900 e 1.200 kg.

O Hereford é uma raça aspada e sua origem, animais mochos foram desenvolvidos inicialmente nos Estados Unidos e a partir destes enviados ao mundo todo. A variedade mocha apresenta o mesmo padrão racial do Hereford aspado. Salvo no que se refere aos chifres, pois não apresenta os mesmos, por isto a conformação da nuca deve ser proeminente e arredondada.

Esta falta de chifres é proveniente de dois tipos distintos de seleção. A primeira chamada “double standard” é devido a um gene recessivo. Os primeiros Polled Hereford foram desenvolvidos em Iowa por Warren Gammon em 1901, com o uso de 7 vacas e 4 touros, que foram procurados e comprados em todo território americano após o envio de cartas a mais de 2.500 criadores. A segunda forma de encontra para produzir animais mochos foi através de cruzamento com touros Red Angus, Red Poll e Polled Shorthorn com sucessivos cruzamentos para restaurar o padrão de pelagem da raça. Hoje ao redor de 85% da população Hereford mundial é mocha.

O Hereford foi introduzido no Brasil por influencia de seus vizinhos, a Argentina e o Uruguai, o Sr. Laurindo T. Brasil, de Bagé, RS, foi quem abriu o “Herd Book” desta raça, registrando, em 1907, um touro argentino do criatório de Celedoni Pereda. Logo em seguida, ainda no mesmo ano, o Dr. Plácido Martins, também de Bagé, inscreveu sob o número 2, um touro importado da Inglaterra. Os primeiros a possuírem ventres registrados foram os senhores Antônio Costa & Cia., de Bagé, inscrevendo, em 1910, 4 fêmeas importadas do Uruguai. O primeiro produto nacional registrado, “Lofty”, HBB 31, de 15 de novembro de 1910, importado no útero, também era de criação desta firma.

No que se refere ao Polled Hereford, a variedade mocha da raça, em 1928 foi importado um touro dos EUA, sendo registrado por seu proprietário, Sr. Félix Guerra, de Quarai, RS. Em 1934, o mesmo criador importou mais 2 touros e 2 vacas, da mesma procedência.

A raça Hereford esta amplamente difundida no mundo inteiro sendo encontrado na Argentina, Uruguai, Brasil, Chile, Austrália, Canadá, Estados Unidos, Dinamarca, Irlanda, Nova Zelândia, Portugal, África do Sul, Espanha, Suécia, Zâmbia e Zimbábue.


Hereford Mocho - Royal Show 2003 - Inglaterra.
Copyright: Jean Pierre Martins Machado

Muitas raças compostas e sintéticas foram criadas ao redor do mundo. Nos Estados Unidos foram formados o American Breed (1/2 Brahman, 1/4 Charolês, 1\8 Bisão, 1/16 Hereford, 1/16 Shorthorn), o Barzona (25% Africânder, 25% Hereford, 20,8% Shorthorn, 16,7% Angus e 12,5% Brahman), o Beefalo (3/8 Bisão, 3/8 Charolês, 1/4 Hereford), o Beefmaker (50% Charolês, 50% Hereford, Aberdeen Angus e Shorthorn e alguma porcentagem de sangue Pardo Suíço e Brahman), o Beefmaster (50% Brahman, 25% Hereford e 25% Shorthorn), Braford (5/8 Hereford e 3/8 Brahman), o Charford (1/2 Charolês, 3/8 Hereford e 1/8 Brahman), o Hash Cross (Hereford, Aberdeen Angus, Shorthorn e Highland), o Regus (Red Angus X Hereford), o Simmalo (50% Simental, 25% Bisão e 25% Hereford), o Victoria (75% Hereford e 25% Brahman), o Vctoria (3/4 Hereford e 1/4 Brahman), o RX3 (50% Red Angus, 25% Hereford e 25% Red Holstein), Salerford (Hereford X Salers), Burwash (Hereford X Charolês), o Charford (1/2 Charolês, 3/8 Hereford e 1/8 Brahman), Chiford (Chianina e Hereford) e os comerciais Better Idea (50% Red Angus, 25% Hereford e 25% Pardo Suiço) e Watson (Hereford, raças leiteiras, Beefmaster, Red Angus, Red Holstein e Pardo Suíço), Beef Machine (Red Poll, Hereford, Pardo Suíço, Angus, Frísio e Simental) e Ranger.

No Canadá foi desenvolvido o Hays Converter (50% Hereford, 25% Holandês e 25% Pardo Suíço), o Burwash (50% Charolês, 25% Hereford e 25% Shorthorn), o Fort Cross (50% Charolês, 25% Lincoln Red e 25% Hereford), o Pee Wee (Angus, Charolês, Galloway e Hereford).

Outro país com grandes rebanhos Hereford é a Austrália, onde existem o Simford (Hereford X Simental), o Wokalup (Brahman, Charolês, Frísio, Hereford, Angus), o Belmont Red (50% Africânder, 25% Hereford e 25% Shorthorn), o Sahford (Hereford X Sahiwal), Australian Beefmaker (75% Hereford e 25% Simental) e o sintético taurino resistente ao calor e carrapatos através de seleção de animais adaptados e cruzamento entre eles, o Belmont Adaptaur (50% Hereford e 50% Shorthorn).

Alem destes, existem raças compostas com Hereford na África do Sul, Bonsmara (5/8 Africânder, 3/16 Hereford e 3/16 Shorthorn), o Hereland (F1 Hereford X Highland) do Reino Unido, o Nuras (50% Africânder, 25% Hereford e 25% Simental) da Namíbia, o Philamin (1/2 Hereford, 3/8 Nelore e 1/8 Philipine nativo) das Filipinas e os russos Kazakh Whiteheaded (Hereford X Kazahk local) da Rússia, South Ukrainian (50% Charolês, 25% Hereford, 25% Red Steppe), Znamensk (62,5% Aberdeen Angus, 25% Charolês e 12,5% Simental Russo).



Hereford - África do Sul - década de 50


Hereford - África do Sul - década de 50

O Brasil formou o Santa Clara ou Pampiano, a qual é composto por 5/8 Hereford X 3/8 Tabapuã, os primeiros cruzamentos ocorreram na Fazenda Santa Clara, no município de Rosário do Sul, no Rio Grande do Sul. Após a raça adotou o nome americano de Braford, pois segundo a American Braford Association, os animais brasileiros por apresentarem o mesmo grau de sangue que o Braford americano seria a mesma raça. Como os americanos formaram o Braford anteriormente, em 1937, a designação racial era mais antiga naquele país, portanto o cruzamento gaúcho teria que adotar o nome.


Copyright: Hereford Breeders Society of UK


Copyright: Hereford Breeders Society of UK



LINHAGEM TRADITIONAL HEREFORD

A raça Hereford foi cuidadosamente desenvolvida por um grupo de eminentes criadores de Herefordshire há 250 anos. Foi este processo de seleção em e regiões adjacentes que criaram o tipo animal ideal para pastejar e produzir proteína de pastos.

O “Traditional Hereford” não possui nenhuma porcentagem de sangue importado de outros países e seguiu estritamente as qualidades e conformação do tipo original da raça Hereford. As qualidades da linhagem são ditas como rústicos e de precoce maturidade, alem de grande facilidade de parto devido ao frame menor que as linhagens com sangues norte americanos. As vacas são ditas excelentes leiteiras com alta quantidade de gordura no leite, alem de grande habilidade materna. Convertem grama em carne de alta qualidade eficientemente e economicamente sob sistema de pastejo tradicionais, portanto produzem mais carne por hectare. Dóceis e fáceis de manejar.

No ano de 2008 existiam ao redor de 742 vacas e 54 touros “Traditional Hereford” no Reino Unido.


TRADITIONAL HEREFORDS NA LLANDINABO STUD - JULHO 2010 - HEREFORDSHIRE - INGLATERRA



Fotos:
Arquivo particular Cabanha Santa Isabel
Livro: Two Hundred Years of British Farm Livestock - Hall & Clutton-Bock
Livro: Catlle Breeds: An Encyclopedia - Marleen Felius.
Australian Hereford Society