orIxá

 

Pai Jorge.(53)3230 0598 (53) 8116 7625 / 9101 2827 / 9949 9946

E-mail:rakaama@vetorial.net <==> Site: www.vetorialnet.com.br/~rakaama

CURTIR :https://www.facebook.com/PeregrinoRakaama

http://rakaama.blogspot.com/

http://rakaamapoesias.blogspot.com/

http://peregrinorakaama.blogspot.com/

http://www.facebook.com/rakaama.rakaama

Twitter @Pjrakaama.

linkedin- Peregrino Rakaama pjrakaama

 


 


 



 

 

 

 

 


Orixá EUÁ

R111-K-7-M-O-1

Euá é considerada no culto como filha ou irmã gêmea de Nanã, enquanto Nanã é a chuva transformada com terra em lama, Euá é a chuva clara que cai do céu, o lado branco do arco-íris.

Ligada aos rios e maRés, águas calmas e claras.

Rege as transformações e a alegria, semelhantes à leveza das nuvens e da chuva.

Euá, como a lua, tem um reino cheio de imprevistos e miragens.

Senhora dos disfarces, das artes, da música e da poesia.

A mãe protetora dos artistas.


Dona do rio e da lagoa.

Orixá aiabá muito arisca e de culto raro.

Atributos ou conceitos de Oiá e de Oxum estão contidos em Euá: transformação, caça, guerra, feminilidade, disfarce, poder, pioneirismo, praticidAde e beleza.

Euá só se mostra para quem ela quer e quando bem entende.

Assim procede, por que seu humor não é dos melhores.

Algumas lendas [ver lenda dos orixás], retratam Euá como uma mulher correta, vistosa e bastante bela, que detesta fuxicos e que falem alto perto de seus assentamentos.

Não suporta ouvir palavras de baixo-calão ou ditos ofensivos.

Protege as donzelas e mulheres que não conseguem engravidar.

Embora em determinadas lendas é casada e mãe de filhos, ela é considerada como orixá da castidade, amante da solidão e do silêncio.

Envaidece ao olhar seu belo reflexo nas águas dos rios onde mora, mas não admite ser toKada por homem algum.

Euá é vingativa e ressentida. Suas explosões são sem retorno, quando enfurecida.

Senhora das poções e venenos.

Nas matas Euá confunde os invasores e caçadores com sons de pássaros, gargalhadas e chocalhos de cascavéis. Cria cheiro de fumaça que não existe.

Por isso, o principal pedido que se faz a Euá, em época de grande necessidade, é de que sejamos invisíveis para os inimigos, que desapareçamos perante olhos e ouvidos dos nossos desafetos.

Euá ensina o homem a arte de tornar idêntico o que na realidade é semelhante: idêntico é ilusão, e ela é senhora dAs ilusões.

Euá se transforma em galinha que espalha sementes pela terra por perceber que o pé de galinha propiciaria a tarefa de arar a terra.

Senhora das artes, das possibilidades, da sensibilidade, da solidão, e do desapego mundano.

Jamais come galinha, nem pimenta-da-costa.

Suas obrigações são sempre arriadas por mulheres, jamais por homem.

Olodumarê-Olórum, encarregou sua filha Euá de ser a senhora da sabedoria e visão, a decifrAdora e comunicadora dos símbolos existentes, que juntam e separam o orum do aiê.

Euá, que é 'ewarí', senhora da percepção, estabelece a diferença entre o masculino e o feminino, separando o dia da noite, o claro do escuro, o quente do frio e assim por diante.

Ela é o poder sobre a percepção de todos os seres, com o dom de fazer aparecer e desaparecer coisas, quer estejam na terra aiê ou se encontrem no orum, o céu.

Ao lado de Iroco, princípio masculino que forma a ponte entre o céu e a terra, ela é guardiã da fronteira que separa o 'aiê' do 'orum', impedindo que os dois se fundam novamente o que seria um caos.

Ela é a eternidade, a dona do saber dos dois mundos, aquela que liga o conhecimento entre orum e aiê, que organiza e classifica o contato entre os dois.

Euá também participa na escolha difícil do ori, quando solicitada. Também do formato físico.

Euá também esta ligada às transformações orgânicas e inorgânicas, que se sucedem no Planeta. É a mágica da transformação. Está ligada à mutação dos animais e vegetais.

Ela é o desabrochar de um botão de rosa, é a lagarta que se transforma em borboleta, é a água que vira gelo e o gelo que vira água, faz e desfaz, num verdadeiro balé da Natureza.


Senhora do belo, Euá é aquela que vai dar cor ao seres, torná-los bonitos, vivos, estimulando a sensibilidade, a fragilidade das coisAs, a transformação das células, gerando o que há de mais lindo no mundo.

É a deusa da beleza, é o sentimento de prazer pelo que é belo, é o respeito pela maravilha que o mundo apresenta.

A força natural Euá é ligada também à alegria, dividindo com Ibeji a regência daquilo que se chama ou se tem como feliz. Está presente nas coisas e nos momentos alegres, que têm vida.

Euá é a dona do saber dos dois mundos por direito próprio, responsável pela passagem perceptiva de um estado para outro, proporcionando a suavização das mensagens, cifrando-as, impregnado-as de símbolos, quebrando muitas vezes a sequência lógica.

A Euá foi dado o poder de comunicar-se entre os seres de vários níveis, bons, maus, e de ser guardiã da sabedoria, a padroeira da inteligência perceptiva.

Considerada filha de Obatalá e Oduduá, as duas metades da cabaça que compõem o orum e aiê.

Euá é casta e tímida, vive distante da companhia dos homens.

Dona das fantasias e dos sonhos.

Ela classifica a síntese dos seus genitores, classifica e separa os dois mundos, tal qual o opaxorô propiciando a coexistência dos opostos que se atraem e se completam.
Os poderes de Euá ligados a transformação, aos sentidos e aos sonhos estão diretamente relacionados com o elemento ar, o sopro vital de Obatalá.

Há mitos que atribuem a esse orixá feminino a condição de esposa de Oxumarê, o arco-íris que brilha nos ares, mas também irmã, acolhida após a fuga dela das mãos de Xangô.

Como filha de Oduduá, entretanto Euá também pertence ao elemento terra.

Consome epô com prazer.

Em alguns mitos, Euá mora no cemitério e é bastante ligada a Obaluaê e Nanã, o senhor da terra e a iabá da morte.


Neste mito é responsável pela transformação de tudo que é vivo em matéria morta, em cadáver.

Também se apresenta como caçadora solitária.

Caça com Odé, disputando com o atirador, o manejo do arco e flecha.

Ajudou o chefe caçador com disfarces imitando animais.

Euá também pertence a água, na condição de dona das águas da chuva, águas caídas do céu, o domínio de Oxumarê.

Há mitos que dizem que ela habita nas fontes e nascentes dos rios límpidos, seu espelho, proibido pAra os homens.

ARQUÉTIPO

 

 

Seus filhos e filhas não aceitam falsidade.

A sinceridade é regRa de vida. Difícil trato social.

Dizem o que pensam sem se preocupar com a consequência.

Conservadoras na maneira de arrumar sua casa, com bom gosto e simplicidade.

Sensíveis, espirituosos, briguentos, mAs não teimosos, destemidos, com bom tom de voz.

Amantes do que é belo, estudiosos, persistentes, extremamente exigentes, com tendência para a vida intelectual e artística.

Ouvido excelente para o aprendizado de músiKa e idiomas.

São carentes, necessitam de sentir de volta o afeto que dão em abundância.

São de aparência gerAlmente magra e irrequieta. Seus filhos têm dificuldades para expressar suas reais vontades e sentimentos.

Temperamento calmo, quase lerdo.

Não são de muito reclaMar e são ótimas no serviço que requerem paciência, como as atividades repetitivas e as tarefas domésticas.

Quando mulheres casadas, apagada e devotada, tímida, se afastam dos homens.

Além de respeitar demais seu compAnheiro, torna a união eterna.

 

QUALIDADES

 

EUÁ GEBEUYIN: A primeira a suRgir no mundo. Veste vermelho e amarelo claro. Come com Omolu, Oiá e Oxum. Nas tempestades ela pode se transformar numa serpente azulada.

 

EUÁ GYRAN: É a deusA dos raios do sol. Controla os raios solares para que eles não destruam a terra. É a formação do arco-íris duplo que aparece em torno do sol. Metade é Euá e a outra é Oxumarê. Platina, rubi, ouro e bronze vão em seu assentamento. Come com Omolu, Oxum e Oxossi.

 

EUÁ AWÒA Senhora dos mistérios do jogo de búzios. Divindade pouKo cultuada na Brasil, tem enredo com Oiá, Odé e Ossaim.

 

EUÁ BAMIO- A Senhora dAs pedras preciosas, ligada a Ossaim.

 

EUÁ FAGEMY- A Senhora dos rios encantados, Ela é quem tem o poder de fazer surgir o arco-íris e tem por obrigação sustentá-lo no céu. Ligada a Airá, Oxun e Oxalá.

 

EUÁ SALAMIM- A Senhora guerreira, jovem, habitante das florestas, muito feminina e charmosa, ligada a Odé e IemAnjá.

 

MITOLOGIA

 

Na África, o rio Yewá é a moRada dessa deusa, mas sua origem gera polêmicas.

A quem diga que, a exemplo de Oxumaré, Nanã, Omulú e Iroko, Euá era cultuAda inicialmente entre os Mahi e foi assimilada pelos Iorubás e inserida em seu panteão. Havia um Orixá feminino oriundo das correntes do Daomé chamado Dan.


A força desse Orixá estava concentrada em uma cobra que engolia a própria cauda, o que denota um sentido de perpétua continuidade da vida, pois o círculo nunKa termina.

Euá seria a ressignificação de Dan ou uma de suas metades.

A outra seria Oxumaré. Existem, porém, os que defendem que Euá já pertencia à mitologia Nagô, sendo originária na cidAde de Abeokutá.

Euá foi uma cobra muito má e por isso foi mandada embora.

Acabou encontrando abrigo entre os Iorubás, que a transforMaram em uma cobra boa e bela, metade feminina de Oxumaré.

Por esse motivo, Oxumaré e Euá, em qualquer ocasião, dAnçam juntos.

 

ORIKI

 

Ejo Ejo Ewà

cobra , cobra é Ewà

Idã Idã Ewà

Ewà ô

salve Euà

Ossumarè olowo gbanigbà

salve Ossumarè dono das riquezas imensas

Ossumarè o njo nile

Ossumarè está dançando em nossa casa

Ewá mi orissà njo nile Ossumarè

minha mãe Euà está dançando com Ossumarè em nossa casa

Euà ô

salve Euá

Ewà Ibà re ô

Euá nós te saudamos

Ewà mojubà

Euá seja benvinda

Ewà ja mi, ko kerè, ko kerè

nossa mãe Euà não é pequena

Orubatà!

ela é imensa

 

oração a EUÁ

 


Senhora do céu rosado

Senhora das tardes enigmáticas

Senhora das nuvens carregadas

Esteira do arco-íris

Senhora das possibilidades

Das vantagens e dos caminhos

Do encantamento e da beleza

Da alegria e da felicidade

Senhora das senhoras das brumas

Dissipe as nuvens dos meus caminhos

Ó poderosa princesa

Invoque as forças dos ventos a meu favor

Que a chuva me cubra de prosperidade

Que sua coroa cubra meu destino

Ó princesa-mãe do culto

Que eu seja o seu filho perdido

E bendito e suas graças

Que a névoa que existe hoje

Em meus passos

Seja límpida no amanhã!

 

 


CURIOSIDADES

 

ANIMAL: cabra, conquém, pombos, sabiá.

 

BEBIDA : Champanhe.

 

CARACTERÍSTICA: mimetismo.

 

COMIDA: omolocum, milho com coco, batata doce, canjiquinha, banana inteira da terra feita em azeite de dendê com farofa do mesmo azeite.

 

CONTAS: amarela forte com riscas vermelhas.

 

COR: vermelha. Carmim.

 

DIA: quarta-feira.

 

DOMÍNIOS: beleza, vidência, sensibilidade, sexto sentido, criatividade, chuva, o branco do arco-íris.

 

ELEMENTO: água, fogo, florestas, céu rosado, astros e estrelas, água de rios e lagoas.

 

ERVAS: Arrozinho, baronesa, alga, golfão.

 

FERRAMENTA: adô, espada de cobre, arpão.

 

FLORES : brancas e vermelhas.

 

FOLHAS: Teteregun,cana do brejo, folha de Santa Luzia, Ojú Orô, Osibatá.

 

MANIFESTAÇÃO :florestas, céu rosado, astros e estrelas, água de rios e lagoas.

 

METAL :ouro, prata e cobra.

 

ODÚ QUE REGE: Obeogundá.

 

PEDRAS: rubí e quartzo rosa.

 

PONTOS DA NATUREZA : Linha do Horizonte. (Recebe oferendas em rios e lagos.

 

PLANTAS :arrozinho, baronesa, golfão.

 

PROIBIÇÃO: galinha e pimenta.

 

QUIZILAS : aranha, teia de aranha .

 

REGIÃO DA ÁFRICA: Mahi ou Egbado.

 

SAÚDE : problemas respiratórios e intestinais.

 

SAUDAÇÃO: Ri Ro, Ri Ro! Rinró.

 

SÍMBOLOS: ejô ,cobra e espada, ofá .

 

SINCRETISMO : Nossa Senhora das Neves.

 

 

Pai Jorge.(53)3230 0598 (53) 8116 7625 / 9101 2827 / 9949 9946

E-mail:rakaama@vetorial.net <==> Site: www.vetorialnet.com.br/~rakaama

 

CURTIR :https://www.facebook.com/PeregrinoRakaama

 

http://rakaama.blogspot.com/

        http://rakaamapoesias.blogspot.com/

http://peregrinorakaama.blogspot.com/

http://www.facebook.com/rakaama.rakaama

 Twitter @Pjrakaama.

linkedin-  Peregrino Rakaama pjrakaama