Belted Galloway

A Cabanha Santa Isabel possui um plantel da raça escocesa Belted Galloway. Atualmente no Brasil existem 3 rebanhos de animais registrados PC, bem como mais 3 rebanhos com animais definidos Belted Galloway.

Nossos animais são todos registrados no livro de Puros Controlados da ANC Herd Book Collares. Adquirimos algumas fêmeas da criação do Sr. Pedro Paulo Gonçalves da cidade de Rosário do Sul. As fêmeas tem um mínimo de 7/8 de sangue Belted Galloway. Temos sêmen de touros Puros de Origem para usar sobre estes animais, assim como, para inseminar animais de outras raças que servem como base de cruzamento.

No inicio deste ano de 2012, a Associação Nacional de Criadores Herd Book Collares, entidade responsável pelo registro genealógico da raça Belted Galloway, após deliberar com o Ministério da Agricultura, abriu a opção de incorporar os animais registrados no Livro de Puros Controlados ao Livro de Pedigree através de uma progressão genética. Serão aceitos no Livro de PO animais com um mínimo 4 gerações registradas no PC.

A Cabanha Santa Isabel já possui animais com 3 gerações conhecidas registradas PC, portanto a próxima geração de animais Belted Galloway receberão o registro de Puro de Origem (POBR) junto ao registro genealógico brasileiro.



Santa Isabel 01 Beltie Santa Isabel 03 Beltie

Os últimos animais Puros de Origem registrados no Brasil datam de 1984, após esta data nenhum animal PO foi registrado ou importado ao Brasil.

A Cabanha Santa Isabel, além de importar sêmen de três touros ingleses, os quais podem ser vistos em nosso link "banco genético". Além da importação de sêmen, importamos embriões Puros de Origem da Inglaterra. Foi selecionada uma doadora de pelagem preta cintada, Hawkridge Dasara, a qual foi acasalada com o touro oriundo da Dinamarca Bo.

Ambos os doadores tem linhas de sangue com ascendentes Dun Belted Galloway. Dasara produziu 9 embriões de alta qualidade em uma única coleta.

Brevemente teremos reprodutores e sêmen de animais Belted Galloway registrados no livro de Puros de Origem na ANC Collares, sendo estes os únicos PO encontrados no Brasil até o momento. Desta forma seremos fornecedores de genética para manutenção e continuidade da raça Galloway no Brasil.


Bo

Hawkridge Dasara


 

HISTÓRIA DA RAÇA BELTED GALLOWAY

O Belted Galloway é a variedade cintada da raça Galloway negra. Assim como o Galloway Negro, a variedade cintada tem sua origem no Condado de Galloway, ao sudoeste da Escócia. As histórias escritas a respeito da origem da raça Galloway, diferem um pouco, mas em três pontos estas histórias geralmente coincidem. No que diz respeito à origem do Galloway. A raça é reconhecida por ser uma das mais antigas raças bovinas existentes, com sua origem ainda obscura, demonstra a sua antigüidade através de seu nome, o qual deriva de um termo Gaélico ou Galês. Os Galeses foram os antigos habitantes da Província de Galloway. Esta província compreendia seis Condados (shires); Dumfries, Lanark, Renfew, Ayr, Kirkcudbright e Wigtown localizadas na extremidade mais sudoeste das terras Escocesas. O Belted Galloway é encontrado no sudoeste da Escócia, porém é pouco encontrada ocorrendo alguns criatórios nos condados de Kircudbrightshire, Northumberland e Wigtownshire.

A raça tem sua origem nas montanhas frias do sudoeste da Escócia. Tem sido mantido como raça separada desde 1.928, tendo um Herd Book próprio estabelecido. Foram importados para os USA no fim da década de 40, e hoje são encontrados em pequenos rebanhos por todo o país. São animais mochos, e tem a conformação de uma moderna raça de corte. A sua mais importante característica é produzir carne economicamente sobre condições variadas de clima. Os “Belties” são rústicos, resistentes a doenças e consomem qualquer tipo de forragem. Apresentam uma dupla pelagem, com um subpêlo curto, denso e leve, e um pêlo ondulado por cima, o qual é geralmente perdido nas estações quentes. Os criadores da variedade cintada exigem que a raça seja ligeiramente maior que o Galloway negro. Raça de temperamento tranquilo, porem ativo.


Royal Show 2003 - Copyright: Jean Pierre Martins Machado

Royal Show 2003 - Copyright: Jean Pierre Martins Machado

O Galloway é inquestionavelmente das mais puras e mais antigas raças melhoradas. Existem hoje alguns autores que são da opinião que eles descendem do gado mocho indígena da Escócia e não se conhece intervenção de sangue estranho na formação e fixação da raça. Prova irrefutável da pureza da raça, está na ausência de manchas nos animais puros e da prepotência com que transmitem o caráter mocho aos animais cruzados, mesmo estes sendo cruzados com animais aspados.

ROYAL HIGHLAND SHOW - JUNHO 2010 - EDINBURGO - ESCOCIA


O gado da região era dito ser escuro, mocho, com pêlos ondulados que apresentavam uma fina pelagem por baixo do pêlo mais grosso, e por séculos não teve nome definido, sendo apenas designados como o "gado negro de Galloway". Muito foi escrito sobre a história dos bovinos Britânicos desde a metade do século XVIII, o período imediatamente anterior não contém descrições sobre esta história. O historiador Hector Boece (1570), escrevendo sobre o Galloway, disse, "Nesta região tão distante existe um boi de carnes deliciosas e tenras". Ortelius, o historiador escrevendo em 1573, disse, "Em Carrick (quando ainda fazia parte de Galloway) estão bois de grande tamanho, que apresentam carne tenra e suculenta". A raça Galloway tornou-se importante durante o período Scottish-Saxão, e os criadores de Galloway exportavam queijo e peles. Depois os bovinos eram vendidos em considerável número aos fazendeiros Ingleses, os quais os vendiam no mercado de Smithfield, após um período de engorde em pastos Ingleses. 



È sabido que a raça Galloway nunca foi cruzada com outras raças. Não se sabe, entretanto, como a raça Galloway adquiriu seu caráter mocho, pois no início muitos destes bovinos eram aspados. Entretanto, durante a metade final do século XVIII e início do século XIX, muitos escritores mencionaram o Galloway mocho, e os criadores decidiram adotar esta característica e iniciaram a seleção deste caráter em seu gado. Muitos dos bovinos iniciais no Distrito de Galloway eram negros, porem vermelhos, pardos, brasinos e animais com marcas brancas não eram incomuns.


DIVERSAS PELAGENS DO BELTED GALLOWAY
ANTON COAKER - SHERBERTON FARM
JULHO 2010 - YELVERTON - DEVON - INGLATERRA


Em 1851, um incêndio no "Highland Agricultural Museum" em Edinburgh, Escócia, destruiu todos os dados históricos e pedigrees da raça Galloway anteriores a este tempo. Onze anos depois (1862), um Herd Book para animais mochos foi publicado neste Herd Book estava incluído o Galloway, o Aberdeen e a raças Angus, que até então eram duas raças distintas. William McCombie (criador escocês pioneiro nas raças Angus & Shorthorn) disse certa vez, "O Galloway indubitavelmente tem muitas grandes qualidades. Em terras pobres eles não têm rivais, mesmo os nossos Aberdeens não seriam capazes de sobreviver. Não há outra raça que tenha maior valor por quilo de peso que o Galloway”.


O Galloway é mocho como o Angus, porem é de menor tamanho, mais resistente e menos exigente quanto à alimentação e manejo. O Galloway, não tem rivais como raça para pastejo, utiliza pastos grosseiros que outras raças dispensariam. Além do mais, sua habilidade em produzir carne de alta qualidade diretamente do pasto, não sendo necessário o fornecimento de grãos para sua terminação, é de grande valor econômico. Animais usados inteiramente para a produção de carne. Os novilhos, engordados tanto com pasto como com grãos, podem produzir uma carcaça de 280 a 350 quilos de peso. É uma raça materna, as vacas têm excelente facilidade de parto, enquanto que os terneiros são rústicos e vigorosos. Raça longeva, com muitas vacas produzindo regularmente com bem de 10 anos de idade. Esta característica por si só pode determinar o quanto é econômica e eficiente uma raça bovina.

A natureza robusta e rústica da raça nunca foi testada, embora considerada uma raça de climas frios, o Galloway tem sido encontrado em regiões quentes, mostrando boa aclimatação a estas regiões. A fama de que a carne da raça Galloway é tenra, suculenta e saborosa, levou a recentes testes pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), onde animais cruzados com Galloway, onde foram comparados com 11 outras raças. Os resultados obtidos fazem parte do "Cycle IV" do "Germ Plasm Evaluation (GPE) Program" no Clay Center, Nebraska. Estes testes mostraram que os cruzamentos com Galloway estavam colocados nas primeiras colocações para sabor, maciez e suculência.


BLAIRGOWRIE - ESCÓCIA - JUNHO 2003 - COPYRIGHT: JEAN PIERRE MARTINS MACHADO

Hoje os criadores americanos de Galloway, reconhecem o potencial da raça em programas de cruzamentos e para a formação de raças compostas. Um programa de testes de performance de touros é feito pela American Galloway Breeders Association em união com a famosa "Midland Bull Test Station’ em Columbus, Montana. Adicionalmente, a AGBA mede por ultra-sonografia as características de carcaça, bem como, faz mensurações do frame, capacidade pélvica e perímetro escrotal dos touros. Os animais Galloway alimentados adequadamente podem competir perfeitamente com animais de outras raças de corte semelhantes.

Está se tornando muito popular na Escócia é usado bastante para cruzamentos, especialmente com animais das raças Shorthorn e Angus, por produzir animais de grande conformação carniça. Afirma-se que a variedade cintada é de maior tamanho e maturação mais precoce, se diz também que as vacas cintadas são melhores produtoras de leite e certamente alimentam melhor suas crias. Os touros são prepotentes e conferem sua cor e características raciais a sua progênie meio sangue. Produzem carcaças excelentes com carne de alta qualidade. O vigor de sua constituição habilita-os a resistir as grandes viagens, com privações de toda a espécie sem sofrer muito. A qualidade da carne é superior e muito estimada por seu sabor, devido à perfeita mistura entre a carne e a gordura e pela estrutura das fibras. As peles do Galloway são muito usadas para o preparo de roupas de inverno, em razão do comprimento e fineza do pêlo negro. Raça extremamente rústica, perdendo talvez apenas para a raça Highland. A sua grande capacidade de adaptação e sua rusticidade são transmitidas em grande quantidade a sua progênie. Raça muito prolífica alcançando índices de 85% de parição.


White Galloway


Dun Galloway


Os animais apresentam pelagem negra ou amarronzada com uma faixa branca que faz a volta em torno do corpo, detrás das espáduas, das cruzes até a garupa. Podem ocorrer as outras cores naturais da raça, tais como o negro puro, o branco com orelhas vermelhas, o Dun ou pardo e o vermelho. Os terneiros são leves ao nascer, em média pesam 28 a 32 kg, os machos adultos pesam em média 900 kg e as fêmeas 550 kg.

Raça muito semelhante ao Aberdeen Angus, sendo que as crias oriundas deste cruzamento são difíceis de identificar a qual raça se origina, dificuldade esta apresentada até por especialistas. As diferenças apresentadas são:

- Os animais Galloway são menores, devido a região de que se originam ser pobre em pastos, e ser açoitada por ventos fortes.

- O Galloway é mais anguloso que o Angus, a garupa é mais levantada e saliente, apresentando-se mais quadrada.

- A precocidade do Galloway é menor que a da raça Angus. Precocidade esta tida como mediana.

- A parte superior do osso occipital do Galloway é plana e ligeiramente fendida em sua parte média. O Aberdeen Angus apresenta o poll saliente e pontiagudo.

- O Galloway apresenta frente muito ampla e pouca cara.

- O pêlo do Galloway é muito mais largo e abundante que o do Aberdeen Angus.

A variedade cintada, Belted Galloway tem sido mantido como raça separada desde 1928, tendo um Herd Book próprio estabelecido. Foram importados para os USA no fim da década de 40, e hoje são encontrados em pequenos rebanhos por todo o país.

O Belted Galloway é uma raça rara no mundo todo, e aqui no Brasil existem alguns criadores que estão fomentando o seu uso em cruzamentos. O rebanho brasileiro é todo de animais puros por cruzamento absorvente, sendo fácil iniciar um rebanho de Belties, pois é uma raça extremamente dominante em seus caracteres genéticos, quando usada em cruzas com qualquer raça de vacas, a quase maioria dos produtos nasce mocha, pelagem negra e com a característica cinta branca no ao redor do abdômen, seja parcialmente ou quase que completa.


 Fotos:
Arquivo particular Cabanha Santa Isabel

Página inicial